quinta-feira, 31 de março de 2011

31.03.11 Despedida




Chegou a hora de outra despedida. Uns vão, outros vêm, dizem-me baixinho ao ouvido. Mas o meu poder de acreditar está bastante avariado. As peças vão caindo e eu, sem saber onde as encaixar. Até quando?

“Abraça-me bem
Levanta o teu corpo cansado do chão.
Afasta esse peso que te esmaga o coração.
Abre uma janela e pergunta-te quem és.
Respira mais fundo e enfrenta o mundo de pé.
Eu venho de tão longe e procuro há mil anos por ti.
Estendo a minha mão até te sentir.
Não sabemos nada do que somos nós.
Mas sabemos tanto do que muda por não estarmos sós.
Abraça-me bem
Levanta os teus olhos para me olhar assim.
Procura cá dentro onde me escondi.
E eu tenho medo, confesso, de dar
O mundo onde guardo tudo o que mais quis salvar.
Tu dizes que não há outra forma de ficarmos perto.
Não há como saber se o caminho é o certo.
Só pode voar quem arriscar cair.
Só se pode dar quem arriscar sentir.
Abraça-me bem”
(Mafalda Veiga)

quarta-feira, 30 de março de 2011

30.03.11 Há Palavras Que Nos Beijam




Não é todos os dias que há palavras que nos beijam, mas de vez em quando acontece e quando acontece quem fica sem palavras sou eu.

“Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca...."


"...De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor..."

(Fado Cantado por Mariza - Composição : Alexandre O'Neill & Mário Pacheco)

terça-feira, 29 de março de 2011

29.03.11 Torre de Belém




Passam-nos à frente todos os dias um montão de coisas como monumentos, ruas, recantos, jardins ou mesmo pessoas que gostávamos de conseguir apreciar e conhecer melhor. O facto é que apesar da curiosidade, da vontade, do desejo ou do querer acabamos por adiar e adiar e adiar e assim sucessivamente até nunca. Parece que nunca há tempo. Hoje acrescentei um ponto aos meus conhecimentos visuais e apreciei de perto a Torre de Belém. Certo que longe de conhecer a fundo sua história, os seus pormenores, os seus cantos. Mas foi um passo a mais do que aquele que já tinha dado. É sempre bom ir um bocadinho mais além.

“Além da Terra, além do Céu,
no trampolim do sem-fim das estrelas,
no rastro dos astros,
na magnólia das nebulosas.
Além, muito além do sistema solar,
até onde alcançam o pensamento e o coração,
vamos!
vamos conjugar
o verbo fundamental essencial,
o verbo transcendente, acima das gramáticas
e do medo e da moeda e da política,
o verbo sempreamar,
o verbo pluriamar,
razão de ser e de viver.”
(Carlos Drummond de Andrade)

segunda-feira, 28 de março de 2011

28.03.11 É bom Viver



É bom sair das rotinas do dia de trabalho. È bom conviver e falar com pessoas diferentes de idades diferentes, ideias diferentes, maneiras de estar na vida diferentes...
É bom viver, ponto.

“Canção do dia de sempre

Tão bom viver dia a dia...
A vida assim, jamais cansa...

Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu...

E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência... esperança...

E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.

Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.

Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!

E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas...”
(Mário Quintana)

domingo, 27 de março de 2011

sábado, 26 de março de 2011

26.03.11 Já faz falta




Parada pardinha há uma semana. Nem um diazinho para dizer que tinha ido, nem um cheirinho cá de cima! Nadinha de nada. Paredão nem vê-lo.
Já faz falta, muita falta.


“Saber o que é correcto e não o fazer é falta de coragem.”
(Confúcio)

sexta-feira, 25 de março de 2011

25.03.11 A culpa não é só da vontade





Cansada e com sono, cheia de vontade de escrever mas sem olhos para o fazer. Já percebi que não é só a cabeça e a vontade que funcionam quando se trata destas lides, preciso de ter mais alguns factores de feição. São eles costas, olhos e imaginação.

“A minha vontade é forte, mas a minha disposição de obedecer-lhe é fraca.”
(Carlos Drummond de Andrade)

quinta-feira, 24 de março de 2011

24.03.11 Sono Profundo





Deve ter sido de tanto dormir. Ontem cheguei a casa e recostei-me no sofá. Adormeci e ali fiquei até acordar cheia de frio. Tenho uma vaga ideia da minha filha mais nova me ter tapado com uma manta, mas o sono era tão profundo que chego a desconfiar se não terá sido um sonho meu. Do sofá para a cama foi um tirinho e nem me lembro de ter deitado a cabeça na almofada. Foi directinho até as 7 da manha, hora de despertador!
O dia foi passado em cima destas horas todas de sono. Meio adormecida meio dormente, cabeça pesada e olhos pequeninos.

“Não sei se quero descansar, por estar realmente cansada ou se quero descansar para desistir”
(Clarice Lispector)

quarta-feira, 23 de março de 2011

23.03.11 Surpresas




Surpresas são sempre surpresas. Gosto de surpresas qb. Ou por outra, adoro surpresas discretas, românticas sem grandes aparatos sem grandes exposições. Gosto de me sentir surpreendida, não gosto de me sentir envergonhada e acanhada. As surpresas, para mim, são sempre aquelas coisas boas de que não estamos à espera, que superam as expectativas, que vão para além dos nossos sonhos bons.
Ahhh! É verdade e também já sei como se morre congelada.

“Aquele que já não consegue sentir espanto nem surpresa está, por assim dizer, morto; os seus olhos estão apagados.”
(Albert Einstein)

terça-feira, 22 de março de 2011

22.03.11 Aceitar




Aceitar – Concordar, admitir, receber, reconhecer, são supostos sinónimos de aceitar, mas nenhum deles mostra na integra tudo que aceitar implica cá dentro.

“Senhor, dai-me força para mudar o que pode ser mudado...
Resignação para aceitar o que não pode ser mudado...
E sabedoria para distinguir uma coisa da outra.”
(São Francisco de Assis)

segunda-feira, 21 de março de 2011

21.03.11 Dia da Poesia




Primavera, Dia da Poesia, aniversário de Bach e ainda Dia Mundial da Árvore.
É preciso mais?
Claro que é, convém dar a César o que é de César. Convém dar a quem de direito o que cada um merece por este dia e pedir-lhes que continuem a presentear-nos com coisas bonitas.

Que este post seja uma pequeníssima homenagem a todos os que nos tratam da alma, seja pela sua poesia escrita, seja pela poesia dos seus gestos.

“Há uma primavera em cada vida: é preciso cantá-la assim florida, pois se Deus nos deu voz, foi para cantar! E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada que seja a minha noite uma alvorada, que me saiba perder...para me encontrar....”
(Florbela Espanca)

"Apenas uma noite é precisa 
Para que a Lua alegre e colorida
Transforme o tempo de um encontro
No tempo de uma vida
Pega nos gestos e nos olhares
Envolve de luz e perfume
Pinta um minuto de breve
E o segundo de um instante..."
(José F.Machado) 

"Eu amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já não me dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia."
(Fernando Pessoa)


Quanto à poesia dos gestos ... Quem é, sabe que foi, palavras para quê?

domingo, 20 de março de 2011

20.03.11 Acertos de Agulhas





Os fins-de-semana servem para se descansar e recuperara forças para enfrentar nova semana de trabalho. Pelo menos foi assim que sempre vi os fins-de-semana. Acontece que mudei de ideias e os fins-de-semana vão passar a ser fontes inesgotáveis de cansaço sendo que a semana de trabalho vai servir para descansar de tanto desatino. Há outras coisas que vou ter de reavaliar e reprogramar. Mas tudo a seu tempo e uma coisa de cada vez!

“Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar.”
(Clarice Lispector)

sábado, 19 de março de 2011

19.03.11 Conhecimento




Hoje é noite de Lua cheia e de mistério. É engraçado estar a par de todos estes pequenos acontecimentos a que temos acesso nos dias de hoje. É bom perceber que nasci na época certa para mim. Gosto de saber, gosto de aprender, mas não gosto de imposições e de grandes dificuldades. A preguiça impera!
A informação, é de facto um privilégio muito grande.

Noite de sábado tem maior Lua cheia dos últimos 18 anos.

“Para ganhar conhecimento, adicione coisas todos os dias. Para ganhar sabedoria, elimine coisas todos os dias.”
(Lao-Tsé)

sexta-feira, 18 de março de 2011

18.03.11 Puro Prazer




Nada melhor que um dia de puro prazer.
Juntar o útil ao agradável e gozar até ao último segundo e até ao mais pequeno pormenor como se não houvesse amanha.

“O maior prazer que alguém pode sentir é o de causar prazer aos seus amigos.”
(Voltaire)

quinta-feira, 17 de março de 2011

17.03.11 Acima de tudo




Sei que Acima de tudo preciso de ser eu!

“Nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.”
(Pablo Neruda)

quarta-feira, 16 de março de 2011

16.03.11 Sol




O Sol!
O sol hoje resolveu aparecer e aquecer. Mas há dias em que ele faz mais do que isso, ele irradia luminosidade que se difunde dentro de nós deixando-nos tranquilas e felizes.
O Sol hoje apareceu!

“A face de um velho amigo é como um raio de sol por entre escuras e sombrias nuvens.”
(Abraham Lincoln)

terça-feira, 15 de março de 2011

15.03.11 Não é o Dia




Há dias e dias. Hoje é dia mas não é o dia!
Apesar de não ser segunda, nem o primeiro dia do mês ou do ano, amanheceu. E amanheceu com um brilho que não é igual ao de ontem, nem igual ao que vai ser amanha. Amanheceu com o brilho de hoje.

“Bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça...”
(Mário Quintana)

segunda-feira, 14 de março de 2011

14.03.11 Não fales/Sente




Hoje estou bem sensível, e como tal tudo o que leio, tudo o que oiço, tudo o que me dizem entra e entranha. São dias em que preciso de ter cuidado, são dias em que tudo o que me rodeia é uma beleza, mas em que a mais pequena contrariedade vira o mundo contra mim.

José F. Machado 

E depois disto é caso para dizer:

“...os verdadeiros versos não são para embalar,
mas para abalar...”
(Mário Quintana)

domingo, 13 de março de 2011

13.03.11 Escolhas




Estou baralhada mesmo. Sair de casa e parar de pensar foi a melhor escolha que fiz.

“Ser ou não ser, eis a questão.”
(William Shakespeare)

sábado, 12 de março de 2011

12.03.11 Nada como uma boa noite de sono




Uma boa noite de sono faz milagres.

“O Sono

O sono que desce sobre mim,
O sono mental que desce fisicamente sobre mim,
O sono universal que desce individualmente sobre mim —
Esse sono
Parecerá aos outros o sono de dormir,
O sono da vontade de dormir,
O sono de ser sono.
Mas é mais, mais de dentro, mais de cima:
E o sono da soma de todas as desilusões,
É o sono da síntese de todas as desesperanças,
É o sono de haver mundo comigo lá dentro
Sem que eu houvesse contribuído em nada para isso.

O sono que desce sobre mim
É contudo como todos os sonos.
O cansaço tem ao menos brandura,
O abatimento tem ao menos sossego,
A rendição é ao menos o fim do esforço,
O fim é ao menos o já não haver que esperar.

Há um som de abrir uma janela,
Viro indiferente a cabeça para a esquerda
Por sobre o ombro que a sente,
Olho pela janela entreaberta:
A rapariga do segundo andar de defronte
Debruça-se com os olhos azuis à procura de alguém.
De quem?,
Pergunta a minha indiferença.
E tudo isso é sono.

Meu Deus, tanto sono! ...”
(Álvaro de Campos)

sexta-feira, 11 de março de 2011

11.03.11 Quero a minha vida de volta…




Eu queroooo a minha vida de voltaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!
Quero as minhas coisas, o meu trabalho, a minha ginástica, os meus amigos. Eu querooooo… a minha vida de voltaaaaaaaaaaaaa…

"... O tempo é algo que não volta atrás.
Por isso plante seu jardim e decore sua alma,
Ao invés de esperar que alguém lhe traga flores ..."
(William Shakespeare)


"(...)Partir!
Nunca voltarei,
Nunca voltarei porque nunca se volta.
O lugar a que se volta é sempre outro,
A gare a que se volta é outra.
Já não está a mesma gente, nem a mesma luz, nem a mesma filosofia(...)."
(Álvaro de Campos)

quinta-feira, 10 de março de 2011

10.03.11 Procurar




Falar não adianta, escrever também não. Fases…
Às vezes ir à procura de novos enquadramentos para uma fotografia, nos sítios por onde andamos frequentemente é bom para percebermos que há sempre coisas diferentes para ver. Basta estar disponível para isso e procurar. Enquanto procuramos não falamos nem escrevemos, abstraímo-nos da vida tal como a estávamos a pensar …

“O maior paradoxo do desejo não está em procurar-se sempre outra coisa: está em se procurar a mesma, depois de se ter encontrado.”
(Vergílio Ferreira)

quarta-feira, 9 de março de 2011

09.03.11 O Silêncio




O Silêncio é um bicho estranho. Umas vezes incomoda, outras vezes é o céu. Vá-se lá perceber…

“O silêncio é a mais perfeita expressão do desprezo.”
(George Bernard Shaw)

“Da árvore do silêncio pende seu fruto, a paz.”
(Arthur Schopenhauer)

“O resto é silêncio.”
(William Shakespeare)

terça-feira, 8 de março de 2011

08.03.11 Nada de Nada




Passar um dia em casa é descansativo mas ensurdecedor. Dormir, comer, ler, acender lareira, dormir em frente a lareira, ler, comer, ler, ler, ler e de repente é noite e a sensação é a de que não se fez nada.
Verdade é que hoje fiz exactamente o que ontem planeei, fazer nada.
No entanto é triste aproveitar o tempo para não fazer nada. Sempre que faço isto arrependo-me.

“Faça com que eu saiba ficar com o nada e mesmo assim me sentir como se estivesse pleno de tudo...”
(Clarice Lispector)

segunda-feira, 7 de março de 2011

07.03.11 Carnaval




Para uns foi dia de trabalho, para outros foi dia de descanso e brincadeira, para outros ainda, dias de meia coisa. Há para todos os gostos. Para mim foi dia de trabalho com alguns momentos de bem-estar. Com uma diferença, hoje os meus pensamentos não me estragaram o dia, consegui ser benevolente comigo e com tudo o que fiz.

“Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba. Não ame por admiração, pois um dia você se decepciona. Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação.”
(Madre Teresa de Calcutá)

domingo, 6 de março de 2011

06.03.11 Coisas Boas/Pensamentos Maus




Que dia!
Não sei muito bem qual foi o saldo do dia. Teve coisas muito boas e pensamentos muitos maus. Para variar os pensamentos que nos ocupam a cabeça são mil vezes mais espaçosos que as recordações dos largos minutos verdadeiramente bons. Já dei conta deste fenómeno várias vezes sem que nunca o tivesse realizado na verdade. É estranho como dois minutos de pensamento conseguem dar cabo de um dia. Enfim, nada como afastar as coisas más, para que as coisas boas possam prevalecer.

“Uma gota de veneno compromete um balde inteiro de água”
(Gandhi)

sábado, 5 de março de 2011

05.03.11 Do Amor




Pois não sei porque acordei assim, facto é que acordei. O sol espreitou por trás de uma nuvem e acordou-me devagarinho deixando-me uma sensação imensa de bem-estar e bem-querer. É sem dúvida a Primavera a tentar entrar.


"O amor nasce de pequenas coisas, vive delas e por elas às vezes morre"
(Lord George Byron)

sexta-feira, 4 de março de 2011

04.03.11 Primeiros indícios de Primavera




Reparei hoje que a minha trepadeira começou a despontar e com ela eu também comecei a nascer para esta nova Primavera. Bem sei que ainda não se instalou definitivamente, facto é que as andorinhas já começaram a chegar, as arvores a florir e as azedas a abrir. Os primeiros toques desta estação já cá cantam.

“Ah o amor ... que nasce não sei onde, vem não sei como e dói não sei porque...”
(Carlos Drumond de Andrade)

quinta-feira, 3 de março de 2011

03.03.11 Memórias




E quando a memória nos falha …
Acho que a vida nos ensina a lei da substituição. Quando uma porta se fecha abre-se uma janela, quando não se tem cão caça-se com gato, quando não se vê, ouve-se e sente-se mais e por ai fora.
Como tal quem tem a memória fraca precisa de a reavivar com fotografias! Será?
Estou cada vez mais convencida que o meu gosto por fotografia tem muito a ver com esta "lei da Substituição).
Hoje estive a ver fotografias da cerimónia de fim de curso, do meu claro está (já lá vão 20 aninhos) e não me lembro nada, mas mesmo nadinha de lá ter estado, do que vesti, do que fiz, do que disse. Mas o facto é que a fotografia não mente. Eu estive lá simmmm!
Mas há coisas que ficam, e ficam para todo o sempre.

“Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.”
(Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, 2 de março de 2011

02.03.11 Promessas




As amizades selam-se não com anéis, não com promessas e palavras, mas sim com atitude e determinação. Tal como os Búzios que resistem aos mais fortes embates sem nunca perderem a sua forma, os amigos não perdem as suas verdades.

“Beijos não são contratos e presentes não são promessas.”
(Willian Shakespeare)

terça-feira, 1 de março de 2011

01.03.11 Sonhos/Sentimentos




Apesar de tudo teve um final feliz. Tal e qual como nos contos de fadas, ou nas histórias de Príncipes e Princesas.
Não sei como consigo eu encadear os acontecimentos e fazer deles as histórias bonitas que construo na minha cabeça. Às vezes acho-me mesmo digna dos melhores e mais belos argumentos de Hollywood.
Sonhos…
Serão sonhos? Sentimentos?

“Somos donos de nossos actos,
mas não donos de nossos sentimentos;
Somos culpados pelo que fazemos,
mas não somos culpados pelo que sentimos;
Podemos prometer actos,
mas não podemos prometer sentimentos...
Actos são pássaros engaiolados,
sentimentos são pássaros em voo.”
(Mário Quintana)